transporte-automatizado

Transporte automatizado: por que você já deve pensar nisso em 2017?

transporte-automatizadoSe você acompanha notícias sobre logística, certamente viu que o transporte automatizado é a pauta da vez. No mês de novembro deste ano, um caminhão autônomo fez sua primeira viagem com o objetivo de realizar uma entrega, nos EUA. A iniciativa foi das empresas Uber e Otto (uma startup de caminhões autônomos) e o trajeto percorrido foi de aproximadamente 220 quilômetros, de Fort Collins, no Colorado, até Colorado Springs. O caminhão, que não traz motorista embarcado, possui três sensores de detecção a laser, um radar localizado no parachoque e uma câmera de alta precisão acima do para-brisa. Tal façanha deve mudar radicalmente a história do transportes de carga. Apesar de ainda parecer uma realidade distante, estar atento a essa tendência é essencial para o seu negócio.

Para quem já está de olho na novidade, é evidente que o transporte automatizado deve chegar ao Brasil, mas deve demorar. Além de toda a burocracia que envolve a segurança e a legislação, temos a precariedade das estradas e barreiras econômicas que devem restringir a novidade a empresas maiores, ao menos no começo. Por que então a sua empresa deve pensar nisso já em 2017?

Os caminhos até o transporte automatizado

O transporte automatizado é muito mais do que uma invenção futurista para reduzir custos e extinguir a figura do motorista de caminhão. A novidade reforça o fato de que é preciso ter controle sobre suas cargas, mesmo quando elas estão fora dos muros da empresa. Ter estimativas precisas sobre o tempo de chegada, monitorar as condições de temperatura dentro do baú e controlar dispositivos de segurança já são necessidades presentes hoje e que não precisam de “caminhões fantasma” para existir.

O monitoramento de entregas é a tecnologia que permite à empresa, por meio de uma central, obter informações como localização, paradas não programadas, tempo previsto para chegada, etc. Quando associado a outros dispositivos, pode também oferecer informações de controle de temperatura, travamento das portas ou desvios de rota, por exemplo. A vantagem dessa tecnologia em relação ao transporte automatizado é justamente o fator humano. Como fica instalada em um aplicativo para smartphone, a central pode comunicar-se com o motorista e prever ações conjuntas para a resolução de problemas (como buscar uma rota alternativa para um engarrafamento) e até reverter devoluções.

Saiba mais sobre como reverter devoluções clicando aqui.

Além de se encaixar muito melhor à realidade brasileira, o monitoramento de entregas é uma tecnologia acessível e pode ser aplicada em empresas de vários portes. Ficou com alguma dúvida? Deixe um comentário ou entre em contato conosco.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *