tendencias-de-logistica

Tendências de logística para operadores em 2017

tendencias-de-logisticaCom o ano começando, muitas empresas já se organizam para fazer de 2017 um ano de bons negócios. Do ponto de vista da economia brasileira como um todo, há expectativa de estagnação. A boa notícia é que o país deve voltar a crescer em 2018, o que significa que os empresários não podem ficar parados. O ano que vem é perfeito para observar tendências de logística, fazer ajustes e apostar em investimentos assertivos, especialmente os ligados a tecnologia.

Vivemos em um momento crítico no que diz respeito à inovação. A todo momento surgem novidades e as empresas, especialmente as de países em desenvolvimento como o nosso, correm para se adequar. A internet das coisas deve revolucionar a indústria e a logística, dando início a uma nova fase industrial. É preciso estar atento, já que em alguns setores  estamos em natural desvantagem competitiva, agravada pela recente crise.

É evidente que o clima de pessimismo não combina com o perfil do empresário brasileiro. O investimento em inovação, aliado aos recursos inerentes ao país, costuma gerar resultados bastante representativos. Somos destaque nos setores automotivo, agroindustrial e em pesquisas e aplicação de energias limpas. Na logística, há barreiras em relação ao rodoviarismo. Em contrapartida, temos importantes portos e aeroportos capazes de prestar bons serviços. Por isso, é preciso olhar para o futuro, copiar bons modelos e investir cada vez mais. Separamos algumas tendências de logística que consideramos essenciais para o ano de 2017. Algumas delas são apenas reflexões, pontos de atenção. Outras podem ser aplicadas agora mesmo.

7 tendências de logística para 2017

Transporte autônomo

Certamente você acompanhou as notícias sobre o caminhão autônomo que fez sua primeira viagem com objetivo logístico. Caso ainda não tenha visto, veja o que escrevemos no blog sobre o assunto. Por mais futurista que possa parecer, essa é uma das tendências de logística para observar agora mesmo. É evidente que a realidade das rodovias brasileiras dificilmente irá comportar caminhões sem motorista em um futuro próximo, mas a novidade lança luz sobre a necessidade de ter controle total sobre nossas entregas. Com a eficiência dos sistemas de GPS, hoje já é possível saber a localização exata da carga, estimar com precisão prazos de entrega e garantir a segurança total de produtos com alto valor agregado ou necessidades específicas. A consequência disso, além do maior controle das empresas sobre seus processos, é que a relação com o cliente se torna mais próxima e de mais confiança.

Same day delivery

Como o próprio nome diz, essa modalidade logística promete entregar o produto ao consumidor no mesmo dia da compra, desde que ela tenha sido feita até as 18h. Apesar de ser mais forte em outros países, algumas empresas já praticam esse tipo de entrega e a tendência deve estar ainda mais forte em 2017. Para tornar possível tal agilidade, é importante que a loja tenha uma rede bastante estruturada de fornecedores e distribuidores, que podem ser próprios ou terceirizados, de preferência próximos uns dos outros. Isso garante a cobertura eficaz de diversas áreas. É fundamental também que a demanda seja gerenciada por softwares, já a rapidez do processamento de informações exige precisão bastante calculada.

Entrega antecipada

Em um nível um pouco mais avançado que o Same Day Delivery, a tecnologia patenteada pela Amazon em 2014 deve movimentar, e muito, o mundo da logística em 2017. A entrega antecipada consiste em realizar as primeiras movimentações do produto antes mesmo que o cliente finalize a compra. Isso é possível graças a algoritmos capazes de identificar padrões de determinados clientes. Caso eles percebam forte tendência pela compra, o item é encaminhado para o centro de distribuição mais próximo do potencial comprador. Isso reduz o tempo de espera e tende a aumentar a satisfação do cliente. A tecnologia é tendência de logística para 2017 porque nunca tivemos informações tão precisas quanto hoje sobre padrões de consumo e comportamento online. A tendência é que esse conhecimento evolua ainda mais à medida que o Big Data e as cidades inteligentes se consolidam. Enquanto ainda estamos evoluindo nesse sentido, observar movimentações e tendências já é perfeitamente viável e fundamental para aplicar agora mesmo. Sistemas de gerenciamento de armazéns, por exemplo, registram movimentações e emitem relatórios com conclusões acerca de padrões de consumo. Dessa forma, é possível agir estrategicamente para prever ações e aumentar a efetividade das entregas.

Impressão 3D

A tecnologia de impressão 3D deve ser revolucionária em muitos segmentos e ditar tendências de logística. Há estudos para introduzi-la definitivamente em missões espaciais, por exemplo, o que deve ser fundamental para o sucesso da expedições. No ambiente doméstico, elas poderiam servir para produzir os mais diversos produtos, inclusive móveis e objetos de decoração. Na prática funcionaria da seguinte forma: o consumidor compra a programação para a impressão de determinada peça e uma máquina faria imediatamente a impressão do produto. Apesar de bastante interessante, ter uma dessas em casa seria mais trabalhoso do que parece, já que seria necessário comprar diversos “cartuchos” com materiais específicos, o que demandaria o mesmo trabalho do que comprar o produto pronto.

A grande sacada está em ter essas impressoras no ambiente industrial. Há vantagens em relação a qualidade, já que a impressora é capaz de fabricar de uma só vez peças bastante complexas e com otimização máxima da matéria-prima. O acesso também se torna facilitado, já que o produto seria produzido no momento exato da compra e em um local mais próximo possível da entrega. O impacto para a logística, nesse caso, seria imenso, já que dispensa várias etapas de transporte e torna muito mais eficiente a relação com o cliente. E não pense que apenas produtos simples podem ser produzidos com essa tecnologia. Ela já é capaz de construir carros e até pontes.

 

Realidade aumentada

Essa é uma das tendências de logística que deve estar presente principalmente no gerenciamento dos armazéns. Por meio de lentes inteligentes, como as do Google Glass, é possível ter acesso a informações de localização de produtos, faz-se a leitura de códigos de barras, enviam-se comandos de separação, faz-se conferências, etc. A tecnologia é eficiente porque confere agilidade e precisão aos processos, além de ser mais cômodo para o operador. A tendência é interessante porque lança luz sobre a necessidade de criar métodos mais eficazes de conferência. Pode ser que demore um pouco para que sua empresa tenha acesso a óculos inteligentes, mas criar meios digitais para realizar processos do dia a dia é uma necessidade urgente. Se sua empresa ainda possui algum método analógico, 2017 é o momento de se livrar dele.

Internet das coisas

O processo até a consolidação definitiva da internet das coisas ainda leva tempo, mas já começou. A logística talvez seja o setor mais afetado porque o grande volume de informações e as facilidades oferecidas pelo IoT exigirão agilidade das operações. Haverá ligação direta entre todos os pontos da cadeia de suprimentos, desde o fornecimento de matéria-prima até o consumidor. Isso quer dizer que, se houve um aumento significativo no consumo de algum produto, imediatamente a lógica de fornecimento de matéria-prima para fabricação de mais peças também muda. Com mais eficiência, os clientes ficarão mais exigentes e os prazos de entrega ficarão cada vez mais apertados. Para que isso seja possível, no chão de fábrica tudo estará conectado: máquinas, paletes, caminhões e pessoas.

Verticalização

Armazéns cada vez menores e mais eficientes não estão entre as tendências de logística mais novas, mas é fundamental para 2017. O melhor aproveitamento exclui a necessidade de se ter grandes espaços e facilita o trabalho dos funcionários. Outra vantagem é que armazéns verticais têm a automatização e o uso de empilhadeiras mais eficientes como premissa. Como consequência, as equipes ficam menores e a precisão das rotinas de conferência e separação, por exemplo, aumenta.
Estar atento às tendências de logística não quer dizer que você precisa sair como um louco trocando todos os equipamentos da sua empresa. É necessário fazer investimentos, claro. Quem permanece sempre do mesmo jeito certamente é superado pela concorrência, especialmente em momentos de mudança como esse. A dica é fazer tudo com cautela. Estude a realidade da sua empresa e do mercado, se preciso contrate uma consultoria. Só dessa forma você saberá o momento de fazer cada investimento sem que isso comprometa o orçamento da sua empresa.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *