problemas-com-as-entregas

Saiba o que pode estar causando e como resolver seus problemas com as entregas

problemas-com-as-entregasProblemas com as entregas não deveriam existir, mas são comuns em muitas empresas, principalmente quando não há gestão eficiente de entradas e saídas de mercadorias, monitoramento e gestão de devoluções. Em empresas grandes ou pequenas, a tecnologia torna os processos mais simples e diminuem os erros, mas como fazer isso? Separamos 3 problemas comuns e suas respectivas soluções.

3 problemas com as entregas comuns e como resolver

O motorista leva tempo demais para chegar ao destino

Esse é um dos problemas com as entregas que mais acontece. Quando essa demora tem causas concretas, como a distância ou problemas crônicos no trânsito local, isso não representa um transtorno, já que o cliente estará ciente e não ficará esperando pela carga antes do tempo previsto. A crise se dá quando esse atraso se traduz em um incomodo junto ao cliente, que fica esperando pelos produtos em determinado dia ou horário, mas eles não chegam. Nessa situação, o atraso do motorista pode ter principalmente duas causas: rotas mal formuladas ou desvios não programados. O primeiro passo, portanto, é identificar a origem do problema.

Rotas mal formuladas podem obrigar o motorista a fazer vai-e-vens desnecessários que, além de atrasos, representam prejuízos. Quando há o uso de um roteirizador isso dificilmente acontece, já que a ferramenta escolhe os melhores caminhos e otimiza o trabalho do motorista. Dessa forma, é possível prever e avisar o cliente a hora que provavelmente ele precisará ficar aguardando a chegada da encomenda.

Problemas com as entregas relacionados aos desvios não programados, por sua vez, são enfrentados e frequentes em muitas empresas. Por isso, mesmo que haja um roteirizador, é preciso ter também um sistema de monitoramento. Ele avisa quando há algum desvio ou parada não programada. Nesse momento, é possível comunicar-se com o motorista para entender o que aconteceu e avisar o cliente que haverá um atraso e explicar as causas. O objetivo é não só garantir que o motorista fará seu trabalho dentro do combinado, mas também permitir que ações paliativas nos casos de atrasos com motivação real.

Os produtos estão chegando com avarias

Outro caso de problemas com as entregas que pode ter causas diversas, por isso é preciso investigar antes de tomar alguma atitude. O primeiro passo é ver se o produto já está saindo do armazém com problemas ou se eles ocorrem durante o transporte. Se a causa estiver no armazém, verifique a forma com que eles estão armazenados, se não há pilhas grandes demais, se as máquinas não estão causando danos na embalagem, etc.

Se as avarias estão ocorrendo durante o transporte, o problema pode estar na embalagem. Tente fazer um reforço na proteção ou, caso sua empresa seja fabricante do produto, reveja a própria embalagem. Perdas pontuais são previstas, mas quando são recorrentes representam um problema grave.

O trajeto que o caminhão faz também pode fazer a diferença para não ter problemas com as entregas, já que não é interessante, por exemplo, que produtos muito frágeis sejam transportados por vias esburacadas. Rever a rota pode ser uma opção. Mesmo que o caminho seja mais longo, pode valer a pena.

Há muitas devoluções

Mais uma vez, é necessário fazer uma investigação sobre as causas das devoluções, que podem ser: avarias, inconsistências no momento do pedido, erros na separação, etc. A vantagem é que, nesse caso, há uma forma de reverter, ou pelo menos diminuir o erro. Sistemas que estabelecem a comunicação direta entre o motorista e a central permitem negociar no local da entrega para que o cliente fique com a parte correta da carga e receba vantagens no próximo pedido. Essa atitude representa uma economia significativa para a empresa distribuidora porque poupa o motorista de fazer uma nova entrega com todos os gastos que ela representa.
Conhece outros problemas com as entregas comuns? Divida com a gente.

Crédito da imagem: xenostral/ CC

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *