gestão de armazéns

3 erros comuns na gestão de armazéns (e como resolvê-los)

gestão de armazénsGerir um armazém se tornou uma tarefa mais desafiadora à medida que a competitividade entre os atacadistas distribuidores aumentou e o imediatismo da compra e venda tornou-se premissa. Sabemos que a gestão de armazéns traz consigo alguns desafios, mas alguns erros comumente encontrados nesses lugares podem ser facilmente resolvidos. Neste post, vamos focar em ações que podem ser facilmente estimuladas e realizadas dentro do armazém. A seguir vamos citar três erros comuns e como você pode resolvê-los de uma vez por todas e sair na frente dos seus concorrentes.

Processo despadronizado

Se você considerar o número de pessoas envolvidas na logística de um armazém, vai entender por que a padronização dos processos diminui a ocorrência de falhas cometidas diariamente e evita o retrabalho dos seus colaboradores. O ganho também é financeiro, já que processos que teriam de ser refeitos pelo mau desempenho na cadeia são minoria. Se o processo não é padronizado, um colaborador faz de um jeito, outra pessoa faz de uma maneira diferente… No fim, não existe uma unicidade e um modus operandi. Imagine então quando um colaborador sai da equipe. Se a expertise estava só com ele, a perda de conhecimento explícito (que poderia ser documentado e codificado) é enorme. Padronize métodos, formulários e documentação se pretende otimizar o processo, reduzir o tempo e minimiza os erros.

Não usar Indicadores Chave de Desempenho (KPIs)

Não há gestão eficaz sem análise de indicadores. Gestores que não sabem como está o desempenho operacional da própria empresa, não podem sequer se comparar ao mercado ou planejar suas próprias metas. Um armazém sem KPIs está fadado à perda de competitividade e ineficiência. Você pode criar KPIs de acordo com as necessidades e objetivos da sua empresa. Alguns exemplos de KPIs são: stockouts, percentual de utilização da capacidade e custo mensal de armazenagem.

Falta ou excesso de produtos no estoque

Manter os estoques no nível adequado não é uma tarefa fácil. Para conseguir um bom resultado, deve haver integração entre números de compras, vendas, previsão e planejamento da demanda. A batalha do gestor de um armazém deve ser sempre contra o estoque muito alto e o estoque baixo. No primeiro caso, o pleno atendimento da demanda de compras é garantido, mas significa custo elevado e capital parado. Já no segundo, o atacadista distribuidor consegue economizar na manutenção mas pode perder vendas por não ter o produto no momento solicitado. Isso representa um enorme custo intangível.

O uso de KPIs, citados acima, é a solução mais adotada na gestão de armazéns para prever demandas e fugir da imobilização do capital de giro e da perda de vendas.

Você comete algum desses erros na gestão de armazéns? Se não, parabéns. Mas saiba que sempre há falhas no processo a serem detectadas, estudadas e resolvidas. Se você se familiarizou com esses erros, é uma ótima hora para começar a pensar em mudanças.

Crédito de imagem: tpsdave/CC

como a tecnologia pode ajudar sua empresa a reduzir custos

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *