gestão da cadeia de suprimentos

Gestão da cadeia de suprimentos: é possível tornar os ciclos mais curtos?

gestão da cadeia de suprimentosUma gestão da cadeia de suprimentos com ciclos mais curtos tem se tornado mais do que desejável: já é algo necessário. Vivemos um momento em que as comunicações e a concorrência entre as empresas impõem a renovação constante dos produtos, especialmente os tecnológicos. No que diz respeito à logística, dar conta de toda essa demanda requer agilidade e organização, tudo isso sem afetar os custos ou a qualidade do serviço. Isso só é possível graças às ferramentas tecnológicas utilizadas desde o pedido até a entrega ao cliente.

Gestão da cadeia de suprimentos eficiente

Além da necessidade constante do mercado por novos produtos, a gestão da cadeia de suprimentos, quando feita de forma eficiente, é um ótimo negócio para a empresa. Ciclos curtos diminuem a necessidade de armazenamento e evitam desperdícios. A grande dificuldade é que, assim como em qualquer operação logística, longa ou curta, um pequeno erro em qualquer uma das etapas é capaz de comprometer todas as demais. Imagine então manter a qualidade do serviço quando os ciclos se tornam cada vez menores. Para garantir que haja um padrão de qualidade, monitorar cada uma das etapas é fundamental para o sucesso.

Fenômenos como a automação industrial e a internet das coisas têm transformado as fábricas e até os próprios produtos em componentes ativos na gestão da cadeia de suprimentos. À medida que uma máquina se torna capaz de fornecer dados de produtividade, apontar falhas na produção e sinalizar para a necessidade de manutenção nela própria, entramos em uma era em que as chances de haver erros se torna cada vez menor, possibilitando que os ciclos sejam mais curtos.

Em uma etapa ainda mais avançada desse processo, há o retorno das informações a fim de aumentar a precisão dos ciclos. Isso quer dizer, por exemplo, que uma fábrica de alimentos terá acesso, em tempo real, à informação sobre qual SKU tem mais procura em determinados locais, meses do ano, etc. Com esses dados é possível tornar a produção mais inteligente e direcionada, diminuindo custos e desperdícios.

Apesar de interessante, a gestão da cadeia de suprimentos com ciclos mais curtos, da forma como descrevemos, ainda depende de muitos investimentos dos empresários brasileiros e interesse em tornar sua logística mais automatizada e eficiente. Ainda há pouco conhecimento e o velho jeito de fazer ainda predomina em muitos locais. A consequência disso é que se não abrirmos os olhos para as possibilidades que a tecnologia oferece, outros países o farão e não será mais possível concorrer de igual para igual.

Ficou com alguma dúvida sobre a Gestão da cadeia de suprimentos? Deixe um comentário!

7-erros-que-distribuidores-não-podem-cometer

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *