cubagem

Cubagem: saiba como um cálculo simples pode melhorar a eficiência da sua empresa

cubagemCubagem, nada mais é do que otimizar espaço. Sempre mencionamos aqui no blog que aproveitar espaços e otimizar recursos para que gerem o máximo de eficiência é o segredo do lucro de muitas empresas. O princípio básico da cubagem é reduzir uma carga de grande volume e baixa densidade até um tamanho que não danifique o produto e facilite o transporte. Utilizar essa técnica, que tem como base um cálculo matemático simples, serve simplesmente para otimizar o espaço dentro dos caminhões.

Quando devo optar pela cubagem?

Em linhas gerais, a cubagem é recomendada quando há um grande volume e baixa densidade, mas é necessário observar aspectos como: se a técnica não poderá danificar o produto, se a embalagem que ele está não será rompida, se ao retornar ao volume original ele terá as mesmas características (compactação), etc.

Optar pela cubagem diz respeito, principalmente, a economia. Caso não houvesse a opção de compactar uma carga de algodão, por exemplo, seria muito mais difícil transportá-la, já que apenas uma quantidade pequena (peso) com grande volume poderia ser levada de cada vez, aumentando os custos. Com a cubagem, a carga fica melhor acomodada e a capacidade do caminhão é melhor aproveitada.

Do ponto de vista do cliente, se o fator determinante para a cobrança do transporte é o peso, não faz diferença para ele se é utilizado ou não um processo de cubagem, mas se o volume for levado em conta sim. Desse modo, é preciso que a empresa que faz o transporte fique atenta e coloque uma taxa adicional caso o cliente opte por não fazer a cubagem, ou então a distribuidora terá prejuízos.

Como calcular a cubagem?

Para calcular a cubagem usa-se um cálculo simples:

Altura x Comprimento x Largura x fator de cubagem (300 para o Rodoviário).

O fator de cubagem não muda. Esse número foi fixado porque seria a referência para o peso recomendado de um metro cúbico.

Ficou com alguma dúvida sobre a cubagem? Conte para nós nos comentários.

cta-monitoramento

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *