alteracoes-climaticas-globais

Logística e as alterações climáticas globais: por que elas estão relacionadas?

alteracoes-climaticas-globaisAs alterações climáticas globais geram consequências em todos os setores, já que mudam a lógica de produção e distribuição, especialmente de produtos perecíveis. Para a logística, isso significa atenção em dobro, uma vez que o setor precisa adequar-se à nova realidade nas duas pontas: produtor e consumidor. Como, então, podemos passar ilesos a essas mudanças? Para nós, a resposta está em observar com atenção as novas necessidades e investir em tecnologia.

Alterações climáticas globais: como adaptar-se?

Não há como negar que as alterações climáticas globais têm causado alterações em ciclos produtivos mundo afora. Houve mudanças nas zonas climáticas e isso modificou o processo de desenvolvimento de muitos insumos. Reorganizar lógicas de distribuição, especialmente de alimentos é, portanto, um grande desafio, tanto que esse tem sido tema constante em fóruns e encontros internacionais.

Segundo os especialistas, as alterações climáticas são tão graves para o contexto de produção de alimentos que podem causar a redistribuição geográfica de espécies, ou seja, plantas que antes conseguiam desenvolver-se em um determinado local agora precisam ser deslocadas para outro, muitas vezes até com condições que antes eram completamente adversas. Sendo assim, para não comprometer a distribuição de insumos e alimentos, será necessário intensificar ações de inteligência, algumas já em curso, tais como:

Redes de comunicação entre clientes e fornecedores

Enfrentar as alterações climáticas globais com o uso de tecnologia colaborativa é a forma mais inteligente e viável observada atualmente para impedir que haja uma crise de abastecimento. Nos próximos anos, deverão intensificar-se os mecanismos para que seja simples e rápido conectar fornecedor, transportadora e cliente. Dessa forma, se há um problema de produção em uma região onde as alterações climáticas globais tornaram-se nocivas, imediatamente será possível encontrar outra região onde não houve consequências para que o abastecimento se mantenha.

Melhoria nas técnicas de armazenamento

As alterações climáticas globais fazem com que a temperatura aumente progressivamente. As consequências para o armazenamento de perecíveis são imediatas. Produtos sensíveis ao calor não podem ficar armazenados sem refrigeração, por isso transportá-los com rapidez e segurança torna-se ainda mais importante. Invista em sistemas de controle de temperatura, preferencialmente aqueles que possam ser acessados de forma remota pela central e estejam integrados ao software de monitoramento de veículos. É interessante também criar redes mais eficientes de comunicação entre a empresa interessada em vender e o cliente final. Nesses casos, se o produto já tem destino certo, não precisará ficar armazenado muito tempo e chegará mais fresco ao consumidor final.

Campanhas para uso consciente e contra o desperdício

Mesmo com todos os cuidados, é provável que as alterações climáticas globais causem algum tipo de impacto na produção. É fundamental que as pessoas saibam disso e passem a consumir alimentos de forma mais consciente, evitando desperdício e reaproveitando aquilo que hoje é jogado fora. Para a logística, é fundamental contribuir para esse processo promovendo, por exemplo, a logística reversa. Isso é bom não só para a diminuição de resíduos, mas também para as empresas, que passam a ser melhor vistas perante seus consumidores, além de economizar reaproveitando resíduos.

Dessa forma, todos precisam se dar conta de que as alterações climáticas globais são irreversíveis, mas que poderemos lidar com elas. Em muitos aspectos, o uso de tecnologia já pode compensar muitos problemas que provavelmente teremos no futuro. Se você é empresário ou trabalha em uma empresa de logística, fique atento a isso e comece agora mesmo a pensar em estratégias.
Caso tenha alguma dúvida, deixe um comentário ou entre em contato conosco.

Crédito da imagem: fkevin/CC

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *