wcs

Warehouse control systems (WCS): inovações no setor de WMS à vista?

wcsO WCS, ou sistema de controle de armazéns, surgiu para otimizar o sistema de gerenciamento de armazéns (WMS). Ele direciona em tempo real as atividades, servindo como uma espécie de guia, responsável por manter tudo funcionando. Enquanto o WMS trata de aspectos como recebimento de pedidos, disponibilidade de estoque e geração de documentos, o WCS trabalha para que essas atividades sejam coordenadas e repassadas para a equipe da melhor forma possível.

Um WCS jamais substituirá um WMS, pois é um sistema complementar para otimizar o trabalho. O WCS é eficiente porque comporta o imprevisto. Isso significa que se algo mudar no meio do caminho, o algorítimo do WCS automaticamente saberá quais as alterações precisarão ser feitas para que tudo continue sob controle. Em um sistema WMS simples, alterações no meio do caminho acabam precisando da intervenção humana e podem não ser executadas com tanta precisão quanto se gostaria.

Isso não quer dizer que você não possa ter apenas um sistema WMS na sua empresa. Se você ainda não trabalha com sistemas de gerenciamento de armazéns, é preciso aprender primeiro a lidar com o básico.  Ou seja, não só passar pelo processo de implantação, mas também adequá-lo às necessidades da sua empresa, treinar e adaptar as equipes para o uso. Quando conseguir tirar o máximo proveito do sistema básico, surgirão outras necessidades e aí sim será a hora de investir em otimização.
O que achou do WCS? Investiria em um sistema desses na sua empresa?

Crédito da imagem: falco/CC

call

 

controle de esroque

Controle de estoque: como organizar a rotina e evitar erros de uma vez por todas

controle de esroqueQuem tem armazéns, grandes ou pequenos, sabe o quanto o controle de estoque é vital para o sucesso de uma empresa. É estratégico ter nas mãos informações como: quais os produtos que saem com mais velocidade? O que precisa ser vendido logo por conta do prazo de validade? Qual produto não teve boa aceitação? O problema é que nem todas as equipes conseguem se organizar de maneira que esses processos se tornem rotina e as informações sejam extraídas com facilidade e usadas para prever ações.

Planilhas feitas à mão praticamente inviabilizam esse trabalho e o uso do excel pode até funcionar para empresas pequenas, mas mesmo nelas exige grande esforço para analise de dados. Em estoques grandes, nem se fala. Os métodos antigos, além de estarem muito sujeitos a falhas, inviabilizam totalmente a análise por conta do grande volume de informações. Por isso, cada vez mais empresas têm percebido a importância de trabalhar com softwares WMS. Eles tornam as rotinas de controle de estoque muito mais simples e permitem que a análise de dados seja feita facilmente.

Como o WMS funciona no controle de estoque?

No dia a dia dos armazéns, algumas rotinas são essenciais para o controle de estoque como: conferências, contagens cíclicas, adição de itens e baixas no sistema. O WMS funciona automatizando, integrando e facilitando essas funções. Além de dispensar o uso de papel, trazendo as rotinas para o smartphone ou tablet, a ferramenta integra as informações em uma só plataforma e gerencia de forma inteligente os dados para futuras análises. Dessa forma, os processos se tornam muito mais rápidos e precisos, diminuindo consideravelmente as inconsistências.

Apesar de melhorar a coleta e análise de dados, de nada adianta implementar a ferramenta se internamente algumas rotinas precisam ser mudadas na sua empresa. Veja alguns conselhos:

  • Tenha uma pessoa responsável pelas entradas e saídas – esse funcionário deve constantementeacompanhar e validar todas as informações do sistema e se estão ocorrendo inconsistências nas movimentações de estoque.
  • Organize seu armazém – Para facilitar os processos de controle de estoque, tudo precisa ter um lugar. Em empresas que trabalham com um número grande de SKUs isso é mais difícil, mas não impossível. Se necessário separe por categorias e preze pela organização.
  • Faça promoções – isso garante que nada vai vencer em seu estoque. Vale também para itens como roupas, calçados ou móveis. Vencer, nesses casos, é estragar ou ficar fora de moda. Estoque parado sempre significa prejuízo, por isso aja pró-ativamente.

Com essas orientações, os processos de controle de estoque se tornarão muito mais precisos e sua empresa terá muito mais sucesso.

Ficou com alguma dúvida? Deixe nos comentários.

Crédito da imagem: pashminu/CC

boas-práticas-normas-para-armazenagem-e-distribuição

como-controlar-transferencias

3 dicas sobre como controlar transferências de mercadoria entre os centros de distribuição

como-controlar-transferencias

Já falamos algumas vezes aqui no blog sobre como sua empresa pode otimizar as entregas utilizando sistemas de roteirização e monitoramento. Mas quando se pensa em monitorar movimentações de mercadoria, é comum focar apenas na relação com o cliente. Acontece que, no dia a dia de uma fábrica ou distribuidora, há outras necessidades de transporte, como a que ocorre entre os centros de distribuição. Essas viagens também podem, e precisam, ser monitoradas e otimizadas. Por isso, trouxemos essas 3 dicas sobre como controlar  transferências entre os centros de distribuição.

1. Planejamento é o primeiro passo para aprender como controlar transferências

Transferências internas, como em geral não afetam diretamente o cliente, tendem a não ser tão bem planejadas quanto as entregas, mas isso não deve acontecer. Empresas que sabem como controlar transferências prezam por todas as etapas da boa logística, desde separação, carregamento, transporte e pontualidade. Quando seguem padrões, tanto a equipe de um centro de distribuição quanto de outro, sabem exatamente como proceder e as chances de aconteceram erros diminuem.

2. Use tecnologias diferenciadas para contratação de fretes

Quando os caminhões que fazem o transporte entre os centros de distribuição são parte da frota da empresa, fica mais fácil monitorá-los e prever situações de atraso, por exemplo. Mas como controlar transferências internas quando é preciso contratar motoristas freelancer? A melhor opção é ter um software de comunicação que pode ser instalado em qualquer smartphone. Assim, além de transmitir informações de localização, o motorista pode informar sobre eventos na estrada relacionados ao trânsito, necessidades de manutenção no caminhão, etc. Assim, a equipe que está esperando pela carga no outro centro de distribuição pode programar-se para receber a carga no momento certo.

3. Não se prenda somente ao transporte rodoviário

Se a sua carga precisa percorrer uma grande distância entre um centro distribuição e outro, que tal pensar no transporte intermodal? Como controlar transferências ficou muito mais fácil, não há problema em pensar nessa alternativa. As vantagens são a rapidez, a segurança e, dependendo do caso, vale a pena inclusive financeiramente. Por isso, leve em conta todas as possibilidades de transporte ao planejar transferências entre centros de distribuição.

Seguindo essas dicas sobre como controlar transferências, os processos da sua empresa ficarão mais organizados. Isso evita transtornos na hora de descarregar mercadorias, demora no transporte e custos desnecessários.

Ficou com alguma dúvida sobre como controlar transferências? Escreva um comentário para nós!

Crédito da imagem: falco/ CC

Como implantar uma solução de apoio a distribuição-02

distribuicao-de-remedios

O que deve ser levado em conta ao fazer a distribuição de remédios?

distribuicao-de-remediosA distribuição de remédios é uma das áreas que tem a logística mais complicada. Assim como os alimentos, o transporte de medicamentos exige condições específicas de temperatura, embalagem e atenção especial aos lotes e datas de validade. Para fazer com que esse transporte seja seguro, as empresas enfrentam uma serie de dificuldades, especialmente porque nem todas possuem frota com veículos e motoristas próprios. Contratar motoristas ou empresas de transporte exige tomar alguns cuidados e fiscalizar para que tudo corra dentro do esperado, caso contrário a responsabilidade pode recair sobre o embarcador.

Como a tecnologia pode ajudar na distribuição de remédios?

Garantir a segurança na distribuição de remédios é um assunto delicado e sério, já que se trata da vida das pessoas. Alguns medicamentos precisam estar sempre a uma temperatura adequada, ou perdem a eficácia. Isso sem falar que um lote de remédios trocado ou uma carga extraviada tem muito mais consequências do que quando se trata de outro tipo de carga. Por isso, a atenção precisa ser redobrada, especialmente em três pontos principais: gerenciamento de risco, garantia das condições adequadas de transporte e controle de lote:

Gerenciamento de risco: a distribuição de remédios trabalha com cargas geralmente bastante visadas por assaltantes, especialmente aquelas que trazem remédios controlados com alto valor no mercado negro. Para essas cargas, é recomendado o uso de aplicações para monitoramento de frotas, que possibilitam acompanhar em tempo real a posição e o status do caminhão. Integrados a essa ferramenta, podem estar mecanismos de segurança. O aplicativo pode, por exemplo, estar sincronizado com travas de segurança que só abrem o baú para ter acesso a carga quando o caminhão estiver em determinado raio de alcance, ou seja, quando já estiver na latitude e longitude certas do cliente final.

Garantia das condições adequadas de transporte: como já mencionamos, a distribuição de remédios tem a temperatura como um dos fatores determinantes, especialmente os chamados termolábeis, que exigem baixas temperaturas para conservação do ingrediente ativo. Sendo assim, é importante haver um controle do embarcador sobre as condições que a carga está viajando. Assim como a trava de segurança, é possível integrar às aplicações de monitoramento dispositivos de controle de temperatura. Dessa forma, é possível garantir que durante toda a viagem os remédios estarão em boas condições e não oferecerão riscos ao consumidor.

Controle de lote: ao chegar ao cliente, é preciso ter certeza de que aquela é mesmo a carga que ele pediu. Em qualquer tipo de transporte essa conferência é importante, mas na distribuição de remédios ela se torna essencial porque muitos deles possuem embalagens parecidas, mas causam efeitos totalmente diferentes, seja benéficos ou colaterais. Ter coletores de códigos de barra para a conferência do lote é bem útil nesses casos. Outro fator que faz dessa conferência importante são os casos de recall de medicamentos. Nenhuma empresa deseja que isso seja necessário, mas caso for é preciso saber exatamente onde estão os medicamentos de determinado lote para o recolhimento.

O que sua empresa ganha com isso?

Tomando esses cuidados, sua empresa ganha em confiança, agilidade e redução de custos. Tendo esses dispositivos, é possível controlar os motoristas para que não haja desvios de rota, perda de carga e outros transtornos. O monitoramento, por permitir maior controle, também transmite para o cliente a certeza de que os produtos sempre estarão em boas condições. E além de tudo isso, sua empresa economiza porque tem menor volume de perdas e não precisa necessariamente ter motoristas e frota próprios, o que muitas vezes diminuir custos.
Ficou com alguma dúvida sobre a distribuição de remédios? Deixe um comentário para nós.

crédito da imagem: stevepb/CC

Como implantar uma solução de apoio a distribuição-02